Ervas e suas múltiplas serventias na medicina e na Umbanda

Visite a nossa loja Virtual !


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É de conhecimento geral que, as ervas, daninhas, ou não, com flor ou sem flor, sedosas ou espinhosas, não foram na Terra semeadas para satisfazer apenas, os caprichos do Criador.

Ele, Criador, em sua infinita sabedoria, haveria de lhe querer dar um papel muito mais importante e útil.

Desde os primórdios que o ser humano faz uso de toda a espécie de ervas para as mais variadas necessidades, desde a extração de aromas até ás mais complexas, formulas medicinais.
A composição química e mineral do ser humano está diretamente ligada a Terra e a tudo que nela se cria.

“Tive um sábio mestre que me disse o seguinte: O homem encontra a cura para a maioria de seus males, dentro do micro ou macro sistema onde nasceu”.

No mundo globalizado de hoje, em que os homens se deslocam a grandes distancias com muita facilidade e, por vezes, habitam longe do lugar onde nasceram, ficou difícil seguir os ensinamentos desse sábio mestre sem ajuda de outrem.

Acredito que o Criador já previa isso e, para não ficarmos desamparados, dotou alguém com sabedoria transcendental para extrair das plantas tudo que nos é necessário.

O homem evoluiu muito, mas não tanto, que se possa dar ao luxo de dispensar a sabedoria daqueles que tudo iniciaram através de chás e de unguentos ou, pomadas, com ervas maceradas.

Os povos Orientais, até aos dias de hoje, não dispensam os banhos de ervas, pétalas e outras essências extraídas de ervas, plantas, e raízes; os chamados ofuros. Usam e abusam de tais banhos para as mais variadas necessidades; desde o estresse ao comportamento sexual.

Poderia preencher várias páginas, e ainda assim, deixaria de falar tudo de bom, ou ruim, que as ervas possuem. Acredito que nem fosse conveniente dar explicações muito profundas sobre a qualidade das ervas, para não correr o risco de ver alguém fazer mau uso de um produto por falta de conhecimentos técnicos e espirituais.

No decorrer do meu desenvolvimento espiritual, pude perceber o quanto é complexo extrair-se a verdadeira essência das plantas para uso pessoal. A colheita de plantas, para quaisquer tipo de uso, quer sejam banhos, chás, aromas ou, unguentos, tem que obedecer a um rigoroso calendário de fases lunares, horas do dia e meses. A colheita não pode ser feita por alguém sem preparo apropriado nem na hora que nos dá vontade.

Para se obterem resultados positivos, no que tange ao bem estar espiritual e, físico, o melhor será consultar um Pai ou Mãe de Santo, para saber o que é mais adequado à sua linha espiritual; só eles possuem sabedoria para isso.Não quero com isto dizer, que não possam fazer um banho de descarrego com ervas que são de conhecimento geral, mas o melhor será sempre direcioná-lo ao ponto mais necessitado.

O ser humano está ligado ao espiritual através de um Astro e de um Orixá, por conseguinte, para que o tratamento seja eficiente, tem de ser observado o comportamento e posição dos Astros e Orixás em relação a cada ser, já que cada um tem o seu modo próprio de agir e, seu campo específico de ação. As ciências médicas usam todo o potencial dos vegetais para curar o corpo físico; o que está correto. Mas não podemos esquecer do lado espiritual do mesmo corpo, que tem como ponto principal de equilíbrio a Aura e os Chakras e, estes, também precisam de cuidados especiais ministrados por pessoas dotadas para executar tratamentos espirituais.

Com isto quero dizer que, os vegetais, podem ser usados tanto na medicina convencional, como nos tratamentos espirituais desde que sejam orientados pelos conhecedores de cada situação.
Como disse acima, que todo o ser humano está ligado a um Astro e seu respectivo Orixá, cabe-me fazer um esclarecimento para melhor compreensão no uso de ervas para banhos de descarrego.
A Astrologia, quando bem elaborada, dá-nos a verdadeira dimensão da individualidade de cada ser humano, por isso, não se pode fazer uso de um banho que deu certo para outro achando que vai dar certo para todos.

Para reforçar o que quero explicar imaginem o seguinte: cada um dos Orixás que relaciono abaixo tem o seu próprio grupo de ervas, sendo que cada pessoa tem o Orixá masculino e o feminino, que correspondem ao pai e mãe espiritual. Assim sendo, para que o banho seja eficiente, tem de ser ministrado por quem entende, para que a mistura seja correta.

A pessoa mais indicada é sempre um Pai ou Mãe de Santo. Se preferirem, pode ser denominado de zelador de Santo. Só eles poderão dizer se pode lavar o corpo por inteiro ou, apenas dos ombros para baixo.

Vejam uma lista dos principais Orixás.
_Oxalá = Deus
_ Xangô = São Jerônimo
_ Ogum = São Jorge
_ Obaluaé (Omulú) = São Lazaro
_ Iemanjá = Nossa Senhora dos Navegantes
_ Oxossi = São Sebastião
_ Nana = Santa Ana
_ Oxum = Nossa Senhora da Conceição
_ Inhaçã = Santa Barbara
_ Cosme e Damião = Ibeji; Orixás Meninos Protetores das Crianças
_ Oxumarè = São Bartolomeu
_ Exú = Orixás operários a serviço dos Orixás maiores.

Este texto é original, desenvolvido através dos ensinamentos de meus guias Caboclo Cobra Coral e Cabocla Jurema.